HYABI - 01. A boneca sem cor

Resolvi postar os caps de HYABI aqui pra quem está lendo no grupo Yuri da Depressão.

- - -

- WAAAAAHHH! QUE SONO! - Akhara levantou de sua cama num pulo assim que desligou o despertador logo ao seu lado.

Correu pro banheiro, tomou um banho e se arrumou para a escola, pois, já estava na hora. Ela estudava no segundo ano do colégio St. verônica.

Logo depois de terminar de se arrumar, desceu as escadas, ainda apressada, e se deparou com seu tio, morgado, roncando, sobre o sofá da sala. Suspirou. O cobriu com um lençol e foi andando até a cozinha para tomar o café.

Comeu um pratarrão de cereal com leite, o seu favorito, de chocolate. E logo depois, escovou os dentes. Enfim, animada, apesar de tudo, partiu para a escola.

Esta era perto de sua casa, numa região mediana da cidade de Illiador.

Tudo estava ocorrendo na mais absoluta normalidade até que... Andando pela rua, Akhara avistou uma garotinha. A garota era um pouco menor que ela, apenas, mas seu corpo parecia muito mais magro e esguio. E esta estava toda vestida de negro, o que a deixava ainda menor. Porém, sua pele era o extremo oposto. Ela parecia até aquelas pessoas... albinas... de tão claras. Mas pelo visto, não era. Seus cabelos eram brancos, seus olhos também, ela usava um tapa-olho negro em um deles, mas ainda parecia que ela não havia nascido com a falta total de melanina, por incrível que parecesse.

Apenas a aparência daquela garota seria o suficiente para tirar Akhara de sua caminhada rotineira até o colégio, se não fosse... O fato dela andar ainda muito, muito rápido, de uma maneira "esquisita" até. O que chamou ainda mais a atenção da garota afobada. Quem era ela? Pra onde ia? O que fazia? Foram pensamentos que percorreram a mente de Firefist (era seu sobrenome) muito muito rápido.

E sem nem sentir, passou a seguir a garota esquisita.

Ela entrou em um beco na rua, depois em outro, percorreu os cantos das casas, e Akhara sem nem notar que estava se enfurnando em cantos que mal conhecia de seu bairro, continuou a percorrê-la incessantemente. Era estranho. Não era lá uma boa aluna e nem tirava notas exemplares, era mediana, mas mesmo assim, considerava a escola algo importante. Mas naquele exato instante nada que se referia ao horário escolar que perderia passava por sua cabeça.

Até que...

A garotinha parou. Atrás de si, apenas uma grande parede branca e suja, que demonstrava o fim do caminho. Latas de lixo espalhadas e reviradas. Um cheiro pútrido de um beco desconhecido. Nada além de... Estranheza. Por que ela parou ali? Melhor, por que a seguiu? Nesse instante, finalmente, Akhara pareceu ter saído do devaneio. O que fazia ali!?

- Olá, estranha. - Disse a garotinha pálida de voz mórbida.

- Q-quem é você? Por que...? - "Por que te segui?" ela pensou, mas não teve coragem de falar.

- Eu sou...

E então, o corpo da garota começou a se deformar defronte aos olhos de uma Akhara horrorizada. E então, o que antes era uma simpática (porém esquista) garotinha branquela, virou um monstro bizarro. Seu corpo era uma gosma negra, e dali, a única coisa que podia ser vista eram dois olhos vermelhos gigantes.

- M-mas o quê...!?

Akhara pensou em correr. Mas foi tarde demais. Uma das gosmas "saltou" daquele monstro como se fosse uma bala de canhão e então, ia atingí-la bem no meio da cara, quando...

Explodiu.

Foi como se alguma outra coisa atingisse aquilo, simplesmente, e a fizesse sumir. Salvando então, a vida de Akhara, por milésimos de segundo.

- Quem...? - A menina virou-se para o lado de onde viu surgir a "defesa". E então, sobre um dos telhados das casas, viu... Era a garotinha pálida de novo. Mas dessa vez, parecia ser a VERDADEIRA.

Ela deu um salto mortal e então, caiu em pé, certinha, bem do lado de Firefist.

- Quem é você!? O que é isso!? - Ela perguntou, assustada (mas é claro).

- Não temos tempo. - Disse apenas, com uma voz etérea.

E então, a viu escapar de um outro tiro de gosma, só que dessa vez, o alvo era ela. E então, ela foi correndo na direção do bicho. E Akhara viu sua mão se envolver com uma espécie de energia esbranquiçada que ela não sabia o que era.

"Isso parece coisa de desenho animado" foi a única coisa que pôde pensar.

E então... BRUUUM!!!

O ser gigante explodiu. E sujou tudo de geleca negra. Akhara estava toda suja, mas por sorte, aquela geleca não ficava "grudada" na roupa, ela apenas escorregava, caía no chão e... Desaparecia.

- Mas o quê...!? - Sentia-se meio tonta, e então...

Desmaiou.

Quando abriu os olhos estava... Na enfermaria do colégio.

- Quê!? Quando!? Onde!? - Foram as únicas coisas que conseguia dizer.

- Dá pra você se comportar? Estamos numa enfermaria, ora essa! - Quando Akhara ouviu, era uma voz conhecida.

Era sua amiga de tempos, Richty Venomblade. O que era engraçado, pois, ela sempre fora 1 série acima da sua, portanto 1 ano mais velha. Apesar disso, ela parecia ser mais... Seu corpo super escultural e evoluído, fazia as pessoas pensarem, se ela não era uma adulta no meio de um monte de adolescentes.

- Richty! - disse, surpresa.

- O que houve? Parece até que viu algo demais... - Ela disse, sentando-se ao lado, piscando um olho.

Richty lhe dava "coisas". Sensações estranhas na barriga e em outras partes do corpo. Provavelmente, dava essas sensações a qualquer pessoa, aquela mulher tão linda e provocante.

- Er... Eu vi. Eu...

- O-olá. - Outra voz, essa sim gaguejava de nervoso, pôde ser ouvida no recinto. Era a representante do primeiro ano. Todos a conheciam, pela beleza, pelas notas e é claro, por ser uma representante. Apesar disso tudo, Lasna Snowflake era sempre tímida.

- Olha só quem é... É a bonitinha! Como está, coisinha fofa? - Richty disse, piscando pra ela também. Lasna ficou roxa de vergonha.

- E-e-er... - E então, virou-se para Akhara e continuou a falar. - E-eu vim a mando da professora representante do segundo ano. E ela está... Está chamando você na sala de aula, Akhara.

- Ah! Er...! Ok! Estou indo! Obrigada! - E então, ela se levantou e saiu correndo atrapalhada.

Assim que saiu da enfermaria, Lasna ficou sozinha com Richty.

- Então... Está animadinha, é? - A provocadora disse, Lasna não sabia se ficava de novo com vergonha ou se fingia de confusa.

Saindo dali, Akhara passava correndo pelo pátio principal enorme da escola, e logo depois, subia as escadas para o segundo andar, onde se encontravam as salas de primeiro e segundo ano.

- Estou atrasada! Estou atrasada!

Mas era claro que sua mente não esquecia do que acontecia...

"O que era aquilo? Seria um sonho? Será que tive um devaneio e... Desmaiei? Será que estou com pressão baixa? Será que foi uma...?" estava pensando tentando entender como chegou na escola ou coisa assim, quando enfim, chegou em sua sala.

Saiu entrando e sentando normalmente como fazia, sem nem se tocar de uma coisa. A professora já estava lá, os alunos também, e também havia mais uma coisa...

- Ah! Akhara! Enfim, melhorou da pressão baixa? Falaram que você desmaiou no meio da rua! E então, essa nossa linda aluna nova te ajudou, e...! - Quando ela disse as palavras "aluna nova", Akhara ficou chocada.

Sim, era ela.

A menina pálida chamada Trynia Whitedeath.


CONTINUA!!!

Nenhum comentário: