I'm everything I can be
When I'm with you

HYABI (Hypothetical Ability Test) - Índice

Postarei todos os capítulos de HYABI (minha história original yuri) aqui conforme eu for postando eles no grupo Yuri da Depressão do Facebook. Vai ser de mais fácil acesso pra quem não leu os anteriores.

(Só clicar no capítulo que será direcionado ao link)

CAPÍTULOS






CAPÍTULO 6

CAPÍTULO 7

CAPÍTULO 8

CAPÍTULO 9

CAPÍTULO 10

CAPÍTULO 11

CAPÍTULO 12

CAPÍTULO 13

PERSONAGENS


AKHARA FIREFIST


HEBER TOUGHROCK


LASNA SNOWFLAKES


RICHTY VENOMBLADE


TRYNIA WHITEDEATH



HYABI - 01. A boneca sem cor

Resolvi postar os caps de HYABI aqui pra quem está lendo no grupo Yuri da Depressão.

- - -

- WAAAAAHHH! QUE SONO! - Akhara levantou de sua cama num pulo assim que desligou o despertador logo ao seu lado.

Correu pro banheiro, tomou um banho e se arrumou para a escola, pois, já estava na hora. Ela estudava no segundo ano do colégio St. verônica.

Logo depois de terminar de se arrumar, desceu as escadas, ainda apressada, e se deparou com seu tio, morgado, roncando, sobre o sofá da sala. Suspirou. O cobriu com um lençol e foi andando até a cozinha para tomar o café.

Comeu um pratarrão de cereal com leite, o seu favorito, de chocolate. E logo depois, escovou os dentes. Enfim, animada, apesar de tudo, partiu para a escola.

Esta era perto de sua casa, numa região mediana da cidade de Illiador.

Tudo estava ocorrendo na mais absoluta normalidade até que... Andando pela rua, Akhara avistou uma garotinha. A garota era um pouco menor que ela, apenas, mas seu corpo parecia muito mais magro e esguio. E esta estava toda vestida de negro, o que a deixava ainda menor. Porém, sua pele era o extremo oposto. Ela parecia até aquelas pessoas... albinas... de tão claras. Mas pelo visto, não era. Seus cabelos eram brancos, seus olhos também, ela usava um tapa-olho negro em um deles, mas ainda parecia que ela não havia nascido com a falta total de melanina, por incrível que parecesse.

Apenas a aparência daquela garota seria o suficiente para tirar Akhara de sua caminhada rotineira até o colégio, se não fosse... O fato dela andar ainda muito, muito rápido, de uma maneira "esquisita" até. O que chamou ainda mais a atenção da garota afobada. Quem era ela? Pra onde ia? O que fazia? Foram pensamentos que percorreram a mente de Firefist (era seu sobrenome) muito muito rápido.

E sem nem sentir, passou a seguir a garota esquisita.

Ela entrou em um beco na rua, depois em outro, percorreu os cantos das casas, e Akhara sem nem notar que estava se enfurnando em cantos que mal conhecia de seu bairro, continuou a percorrê-la incessantemente. Era estranho. Não era lá uma boa aluna e nem tirava notas exemplares, era mediana, mas mesmo assim, considerava a escola algo importante. Mas naquele exato instante nada que se referia ao horário escolar que perderia passava por sua cabeça.

Até que...

A garotinha parou. Atrás de si, apenas uma grande parede branca e suja, que demonstrava o fim do caminho. Latas de lixo espalhadas e reviradas. Um cheiro pútrido de um beco desconhecido. Nada além de... Estranheza. Por que ela parou ali? Melhor, por que a seguiu? Nesse instante, finalmente, Akhara pareceu ter saído do devaneio. O que fazia ali!?

- Olá, estranha. - Disse a garotinha pálida de voz mórbida.

- Q-quem é você? Por que...? - "Por que te segui?" ela pensou, mas não teve coragem de falar.

- Eu sou...

E então, o corpo da garota começou a se deformar defronte aos olhos de uma Akhara horrorizada. E então, o que antes era uma simpática (porém esquista) garotinha branquela, virou um monstro bizarro. Seu corpo era uma gosma negra, e dali, a única coisa que podia ser vista eram dois olhos vermelhos gigantes.

- M-mas o quê...!?

Akhara pensou em correr. Mas foi tarde demais. Uma das gosmas "saltou" daquele monstro como se fosse uma bala de canhão e então, ia atingí-la bem no meio da cara, quando...

Explodiu.

Foi como se alguma outra coisa atingisse aquilo, simplesmente, e a fizesse sumir. Salvando então, a vida de Akhara, por milésimos de segundo.

- Quem...? - A menina virou-se para o lado de onde viu surgir a "defesa". E então, sobre um dos telhados das casas, viu... Era a garotinha pálida de novo. Mas dessa vez, parecia ser a VERDADEIRA.

Ela deu um salto mortal e então, caiu em pé, certinha, bem do lado de Firefist.

- Quem é você!? O que é isso!? - Ela perguntou, assustada (mas é claro).

- Não temos tempo. - Disse apenas, com uma voz etérea.

E então, a viu escapar de um outro tiro de gosma, só que dessa vez, o alvo era ela. E então, ela foi correndo na direção do bicho. E Akhara viu sua mão se envolver com uma espécie de energia esbranquiçada que ela não sabia o que era.

"Isso parece coisa de desenho animado" foi a única coisa que pôde pensar.

E então... BRUUUM!!!

O ser gigante explodiu. E sujou tudo de geleca negra. Akhara estava toda suja, mas por sorte, aquela geleca não ficava "grudada" na roupa, ela apenas escorregava, caía no chão e... Desaparecia.

- Mas o quê...!? - Sentia-se meio tonta, e então...

Desmaiou.

Quando abriu os olhos estava... Na enfermaria do colégio.

- Quê!? Quando!? Onde!? - Foram as únicas coisas que conseguia dizer.

- Dá pra você se comportar? Estamos numa enfermaria, ora essa! - Quando Akhara ouviu, era uma voz conhecida.

Era sua amiga de tempos, Richty Venomblade. O que era engraçado, pois, ela sempre fora 1 série acima da sua, portanto 1 ano mais velha. Apesar disso, ela parecia ser mais... Seu corpo super escultural e evoluído, fazia as pessoas pensarem, se ela não era uma adulta no meio de um monte de adolescentes.

- Richty! - disse, surpresa.

- O que houve? Parece até que viu algo demais... - Ela disse, sentando-se ao lado, piscando um olho.

Richty lhe dava "coisas". Sensações estranhas na barriga e em outras partes do corpo. Provavelmente, dava essas sensações a qualquer pessoa, aquela mulher tão linda e provocante.

- Er... Eu vi. Eu...

- O-olá. - Outra voz, essa sim gaguejava de nervoso, pôde ser ouvida no recinto. Era a representante do primeiro ano. Todos a conheciam, pela beleza, pelas notas e é claro, por ser uma representante. Apesar disso tudo, Lasna Snowflake era sempre tímida.

- Olha só quem é... É a bonitinha! Como está, coisinha fofa? - Richty disse, piscando pra ela também. Lasna ficou roxa de vergonha.

- E-e-er... - E então, virou-se para Akhara e continuou a falar. - E-eu vim a mando da professora representante do segundo ano. E ela está... Está chamando você na sala de aula, Akhara.

- Ah! Er...! Ok! Estou indo! Obrigada! - E então, ela se levantou e saiu correndo atrapalhada.

Assim que saiu da enfermaria, Lasna ficou sozinha com Richty.

- Então... Está animadinha, é? - A provocadora disse, Lasna não sabia se ficava de novo com vergonha ou se fingia de confusa.

Saindo dali, Akhara passava correndo pelo pátio principal enorme da escola, e logo depois, subia as escadas para o segundo andar, onde se encontravam as salas de primeiro e segundo ano.

- Estou atrasada! Estou atrasada!

Mas era claro que sua mente não esquecia do que acontecia...

"O que era aquilo? Seria um sonho? Será que tive um devaneio e... Desmaiei? Será que estou com pressão baixa? Será que foi uma...?" estava pensando tentando entender como chegou na escola ou coisa assim, quando enfim, chegou em sua sala.

Saiu entrando e sentando normalmente como fazia, sem nem se tocar de uma coisa. A professora já estava lá, os alunos também, e também havia mais uma coisa...

- Ah! Akhara! Enfim, melhorou da pressão baixa? Falaram que você desmaiou no meio da rua! E então, essa nossa linda aluna nova te ajudou, e...! - Quando ela disse as palavras "aluna nova", Akhara ficou chocada.

Sim, era ela.

A menina pálida chamada Trynia Whitedeath.


CONTINUA!!!

Fichinha de zoeira atualizada :P















Nome: Jessica Joannes
Apelido: AArK

Idade: 26 (Sim, tô velha)
Niver: 22/03
Signo: Áries

Cor: Vermelha

Comida: Pizza
Bebida: Cerveja

Assistir:
- Séries (L Word, Cold Case, Oz, OITNB, Breaking Bad, Orphan Black, CSI, Carmilla, Gilmore Girls, Will and Grace, Friends, HIMYM...)
- Filmes (Falsas Aparências, Assunto de Meninas, Monster, O Albergue, Jogos Mortais, Bruxa de Blair, 8mm, A Cela, Efeito Borboleta, Kill Bill, Pulp Fiction, Planeta Terror, À Prova de Morte, Ichi, Machine Girl, Bastardos Inglórios, Django Livre, Machete, Suckerpunch, Irreversible, Martyrs, 10 Coisas Que Odeio em Você... Terror, lésbicos, Quentin Tarantino, gore e etc)
- Animes (Evangelion, Elfen Lied, Noir, Canaan, Lain, Shingeki no Kyojin, Claymore, Blood Last Vampire, Madoka Magica, Wixoss, Black Rock Shooter, Black Lagoon, Kill La Kill, Akuma no Riddle, Mnemosyne, Ga-Rei Zero, El Cazador de La Bruja, Ikkitousen, Strike Witches, Saki, Aoi Hana, Kannazuki no Miko, Mai Hime, Blue Drop, Kashimashi... Seinen, terror e yuri)
- Cartoons (South Park, Daria, Beavis and Butt-head, Korra, Steve Universe)
- Programas (Viva La Bam, Jackass, Miami Ink...)

Ler:
- Autores (Charles Bukowski, Jack Kerouac, Agatha Christie, Anne Rice, Sidney Sheldon, Stephen King)
- Livros (A Divina Comédia de Dante Alighieri)
- Mangás (Evangelion, MPD Psycho, Blame!, Claymore, Aoi Hana, Strawberry Shake Sweet, Girlfriends... Seinen, terror e yuri de novo)

Jogar:
- Jogos (Doom, Minecraft, The Sims, Persona, Life is Strange, Tony Hawk's Pro Skater, Resident Evil, Parasite Eve, Silent Hill, Fatal Frame, Catherine, Bully, Hexen, Heretic, Sonic, Golden Axe, Streets of Rage, King of Fighters, Garou Mark of The Wolves, Rival Schools, Darkstalkers, Melty Blood, Queen of Hearts, Lolipop Chainsaw, Splatterhouse, Reckoning Kingdoms of Amalur, Saint's Row, Shadow of The Colossus, Pokémon Red, Ragnarok, Diablo 3, Katawa Shoujo, WoW, Eden Eternal... RPG, luta, survival horror, atlus, uma porrada, só não curto carro e esporte -exceto skate)

Ouvir:
- MPB, Bossa Nova e Samba de Raiz (Zeca Baleiro, Ana Carolina, Djavan, Zeca Pagodinho, Adriana Calcanhotto, Chico Buarque, entre outros...)
- Rock: Punk e Hardcore (Bambix, Exploited, Millencollin, Hatebreed, Germs, NoFX, Bikini Kill, Heavens To Betsy, Chaos UK, UK Subs, Anti-Flag, Dead Kennedys, Black Flag, Ellegarden...)
- Rock: New Metal e adjacências (Deftones, Limp Bizkit, Slipknot, Korn, Kittie, Otep, 36 Crazyfists, Disturbed, Static-X, Mudvayne, Chevelle, Papa Roach, Flyleaf, Machine Head, American Head Charge, Five Finger Death Punch, Hollywood Undead, Finger Eleven, 12 Stones, Three Days Grace, System of a Down, Chimaira... mais uma porrada)
- Rock: Industrial (Marilyn Manson, Dope, Mindless Self Indulgence, Jerks, Rammstein...)
- Rock: Alternativo (Radiohead, Bjork, The Organ, The Smiths, REM, The Cranberries, Idlewild...)
- Rock: Grunge (L7, Pearl Jam, Nirvana, Quicksand, Smashing Pumpkins, Violent Soho...)
- Rock: Metais em geral (In Flames, Soilwork, Killswitch Engage, Pantera, Slayer, Sepultura...)
- Rock: Screamo e deathcore (Alexisonfire, Thursday, From First To Last, Bring Me The Horizon...)
- Rock: Eletrônicos em geral - eletropunk, digital hardcore (Prodigy, Atari Teenage Riot, Mad Capsule Markets, Le Tigre, Crystal Castles...)
- Pop rock, pop e hip hop alguns (Alanis, One True Thing, Pink, Northern State, Lady Sovereign, Shakira, Lily Allen...)
- Algumas outras coisas em Jazz, Blues, Clássica...

"Ídolos":
- Joana d'Arc
- Charles Bukowski
- Sarah Waters
- Thom Yorke (Radiohead)
- Alanis Morissette
- Chino Moreno (Deftones)
- Rooney Mara (Sim, a atriz)
- Amber (Fx)

Frase:
"Love is suicide" (Smashing Pumpkins - Bodies)

Jaula

Estou cansada
De ficar encurralada
Dentro desse lugar
Um espaço pra chorar
A solidão me acompanha
O diabo que apanha
O tempo todo sem ouvir
Nada de bom pra consumir
Eu quero, eu preciso, eu desejo tanto sair daqui!
Me tire desse lugar, me deixe viver
Respirar
Eu preciso, eu quero, eu desejo tanto fugir desse lugar!

Meus pés já estão criando
Criando raízes no chão
Eu não aguento mais as paredes brancas
Me sufocam e cortam as minhas mãos
Estou cansada dos fantasmas
Em todos os lados, rindo e apontando
Quem é que vocês são?
Quem pensam que são vocês?
Eu quero mais é que se explodam
(Vão se foder!)
Eu quero, eu preciso, eu desejo tanto sair daqui!
Me tire desse lugar, me deixe viver
Respirar
Eu preciso, eu quero, eu desejo tanto evoluir, modificar!

Tortura que se sofre calado
Ninguém pra ajudar, nenhuma mão estendida
Todo mundo está mais interessado
Todo mundo só sabe se preocupar com a própria vida
Quero ser fria também
Quero chutar o balde nessa porra toda
Dar o dedo pra todos esses otários
Eu sou sempre o lado errado, eu quero mais é que se exploda

Estou cansada
De ficar mumificada
Dentro desse lugar
Um buraco pra cavar
A tristeza me acompanha
O covarde não apanha
O tempo todo sem sentir
Nada de bom pra me suprir
Eu quero, eu preciso, eu desejo tanto sair daqui!
Me tire desse lugar, me deixe viver
Respirar
Eu preciso, eu quero, eu preciso, eu quero, eu preciso, eu quero tanto fugir desse lugar!

Here's some hope

Preciso conseguir o que eu preciso conseguir
Preciso seguir em frente
Eu nunca mudei de verdade
Eu sempre fui eu mesma
Eu sou eu mesma, eu sou eu mesma e eu gosto de mim agora
Vá embora

Eu me divirto com coisas simples
Eu prezo bastante a sinceridade
Sua amizade não me acrescenta nada
Eu consigo isso em outro lugar
Eu descobri que, eu descobri que eu gosto de mim também
Isso é o bastante pra mim agora

Ouvindo minhas músicas
Jogando meus jogos
Escrevendo minhas histórias
Eu não preciso disso dentro de mim

Vendo meus programas
Bebendo com os amigos
Procurando um futuro
Eu não preciso de nada que não me preencha

Eu fechei os olhos pras coisas ruins
E estou deixando as coisas boas entrarem, porque...
Eu estou cansada de dar murros, dar murros nas paredes
De estourar minhas mãos cansadas
Eu estou cansada de gritar, gritar sem parar
Sem nenhum ouvido sincero para ouvir

Eu vou lutar por mim mesma
Porque eu mereço um espaço aqui dentro
Dentro de mim

Eu nunca mudei de verdade
Não, eu mudei sim
Agora eu sei que eu gosto de mim

Eu (Morte)


Você me usa como capa pro seu corpo
O computador tá desligado, que horas são? Vou pro supermercado
Ninguém entende nada, ninguém entende nada, mas gosta de falar
Tira mente, bota mente, tenta colocar a cabeça no lugar
Tenta fazer a alma funcionar
Eu tô cansada da sua cara, tudo nela me incomoda
Tem alguma coisa errada, fecha a porta, fecha a porta
As janelas da cabeça e os olhos são a alma, 
você afasta a minha calma, afasta a minha...
Me deixe socar tudo o que torna você
Essa coisa que eu não consigo
e não quero entender
Você me usa como remédio pro enjôo
A corda e o telefone, acorda um outro nome
Eu não conheço ninguém, eu não conheço você
Eu não posso mais ver
Cigarros e panelas e espelho e tevê
Não são as coisas que, as coisas que formam você
Você tem que esquecer, eu preciso esquecer
Um, dois, três desenganos que me levam a você
Levanta da cama e lava a cara
A tristeza não falha, a tristeza, me valha
Escola, trabalho, trabalho e bar
Tem sempre outro lugar pra poder visitar
Seguindo a ordem das coisas,
a lei dessa vida
Aceitando sofrimento, aceitando a batida
Escola, trabalho, também o cemitério
Seguindo uma ordem, direto pro necrotério
Mais uma bala perdida, mais uma criança faminta
Mais uma cabeça fodida, sem mais nada na vida
Morte