Sem noçãozisses


Meu amigo, uma vez, reclamou sobre a Lei Maria da Penha. Disse que ela era injusta, porque só atendia mulheres. Mas errou feio, porque ela atende homens também.

Depois, ele falou que era a favor das cotas sociais só como solução temporária, até que o governo "consertasse" a cagada na educação. E vamos pensar bem, é exatamente o que a Maria da Penha faz com relação as mulheres. Enquanto não se conserta a cagada da sociedade de tratar as mulheres como inferiores, e logo, vítimas de violência, eles criam essas leis mais específicas. Assim como a lei anti-homofobia. Devia ser necessário só a lei "não agrida outro ser humano", mas como só isso não funciona, essas leis "band-aid" são criadas. Daí vc pensa, o cara é a favor de uma lei band-aid por esse motivo, mas não é a favor de outra, pelo mesmo motivo (???). - E sim, eu também sou a favor das leis citadas (pra não causar alvoroço).

Daí, dessa vez, ele reclamou do fato de haverem muitos hospitais da mulher e nenhum (ou só um, que não funciona) dos homens. Parece até discurso de masculinista de fórum sexista, homofóbico e racista. Sabe por que? Bom, eu não sou a favor que tenham só um hospital específico pra um dos sexos. Claro que não. Acho que seria mais justo que tivessem pros dois sexos. Ou então, pra nenhum. Porque já temos médicos específicos para os sexos, como a ginecologista pras mulheres e o urologista pros homens. Então, pra que um médico específico? Mas aí que meu amiguinho anti-feminismo entra. Ele não gosta do feminismo, porque confunde por femismo. Ele não vê que essas vantagens (que ele acha serem vantagens) só existem por causa do machismo na sociedade, e não do feminismo. Veja bem, por que (se ele estiver mesmo correto, afinal, eu não conheço um hospital só pra mulheres...) existe mais hospitais específicos pra mulheres que homens? Claro, porque a sociedade machista criou a parada que a mulher é o sexo frágil, que a mulher é delicada, que a mulher é uma flor, que a mulher é sensível... E blablabla. Esse monte de merda. Daí, a gente tem que ficar sendo tratada como específica, ficar tendo essas leis "band-aids", só porque a sociedade "nos fez" assim perante ela. Mas se o feminismo entrasse em vigor nessa parada, ou os dois teriam hospitais específicos ou nenhum dos dois teriam. E isso meu amiguinho não vê.

Ele reclama que se um cara tá doente (no caso, com câncer peniano, como diz ele), ele é zoado e é chamado de gay. Mas sinceramente? Nunca vi essa porra, muito menos num hospital (mesmo que geral). Mas beleza...

Pra continuar, os xingamentos como "gay" e etc, também provém da sociedade machista. Vou explicar... A homofobia é diretamente ligada ao machismo. O fato de um cara ser chamado de "boiola" ou "mulherzinha" quando é xingado diz muito bem isso. Ser "boiola" é ser um homem que tem sua superioridade masculina (perante a estúpida machista), mas a rejeita pra ser praticamente uma mulher. E ser "mulherzinha" é ser uma mulher, um ser inferior pra eles, ora essa. Tanto que tem gente que acha que o cara não é gay se for ativo, ou é melhor do que o gay passivo. Adivinha por que? Ou seja, voltando ao fator, se meu amiguinho fosse a favor do feminismo e este fosse posto em pauta na sociedade, ele provavelmente nunca seria chamado de gay (pelo menos, não com conotação ruim... Pq pra mim, ser chamado de gay é sussa. Vc é hétero? Ok, não precisa se ofender, então. Vc é gay mesmo? Então, tá reclamando do que?), mas beleza...

Ou seja, pra encerrar, ele não enxerga (vou repetir) que o feminismo reclama dessas mesmas desigualdades e desvantagens. O feminismo é contra o preço menor das mulheres em baladas. Mas por que esse preço menor ocorre? Simples, a sociedade machista conclui que, balada com mais mulher que homem (pra ser "pegada" pelos sujeitos) é melhor, ou seja, diminui o preço pra mulheres (algumas dão até desconto pro homem que levar mais mulheres). É engraçado pensar, então, a vantagem no final das contas não é pra gente, É PENSANDO NELES. Feministas inclusive lutam por coisas como "auxílio-pai" (o nome não é bem esse, mas eu não lembrei, então foda-se, mas vou explicar o que é), onde o homem também pode receber férias no trampo quando sua mulher tiver um filho, pra poder também cuidar da criança e etc. Então, como ser contra o feminismo e ao mesmo tempo, achar que é o feminismo que traz esse tipo de regalias à um gênero ou outro? As coisas não são assim, amigo!

Mas vamo que vamo...


OBS: Eu havia apanhado na cara por um vizinho no dia do meu aniversário. Daí, eu fui a uma delegacia da mulher pra poder dar queixa de agressão. O delegado da tal delegacia não só não me levou a sério (sendo que eu tava com a cara inchada) como disse que "seria melhor" se eu fosse a uma DP do meu bairro. Ou seja... O que se conclui dessas tais vantagens?

Nenhum comentário: